Seja Bem Vindo!

sábado, 6 de outubro de 2012

Seminário Temático questões atuais do Serviço Social


(evento ocorrido na pós graduação em Serviço Social e Políticas Públicas pela UNC) 

Professora Edinaura Lusa
Pós Graduando: Pedro Miguel Muniz Junior

Reflexão de intervenção:
Descrever estratégias e posicionamentos necessários ao exercício profissional do Serviço Social frente às contradições que perpassam os campos de trabalho e o contexto contemporâneo.

Descrição:

As estratégias e posicionamentos do profissional de Serviço Social devem estar articulados com sua realidade. É necessária uma aproximação desta realidade. A categoria contradição faz parte desta apreensão desta aproximação com a realidade. Na práxis filosófica da intervenção profissional, utilizando-se da categoria contradição, se encontram também as categorias que devem fazer parte deste tripé de categorias de análise e exposição: as categorias totalidade e mediação.
A partir desta apreensão e utilização categorial, no campo de trabalho do profissional de Serviço Social no seu espaço sócio-ocupacional, o profissional deverá perpassar para uma apreensão maior: [1]leitura de mundo. A leitura de mundo é a práxis filosófica de perpassar a apreensão da contradição para a compreensão da totalidade a partir do movimento da parte para o todo, utilizando se do método dialético crítico no processo de aproximação com a realidade.
            O contexto contemporâneo é percebido na prática: relação entre sujeito, território, trabalho. A constituição da subjetividade do sujeito se constrói a partir da relação do modo de produção onde este sujeito se insere neste processo: sujeito e trabalho. A subjetividade, deste ser social é mediada pela relação social neste espaço territorial onde este ser produzirá relações sociais com outros seres constituindo se neste processo as relações sociais – estrutura social.
A crítica dialética nesta percepção entre subjetividade e estrutura social no momento contemporâneo do modo de produção capitalista, institucionalizado em um espaço território definido e condicionado por estatutos, contratos e leis deve preocupar-se em desmascarar o fetiche – pseudoconcreticidade - onde este ser subjetivo, preocupado com seu cotidiano existencial passa para um outro estágio cooperativo competitivo, homo economicus, onde o sujeito social transforma-se em um indivíduo tomizado. A relação entre trabalho e sujeito condicionado por uma estrutura determinada para a acumulação de mais valia e trabalho alienado, bem como para reproduzir valores que mistifiquem o objeto, fazendo deste objeto um bem fetichizado; também reproduz um indivíduo fechizado: tomização do indivíduo. Este processo deve ser utilizado na percepção no exercício profissional e no processo de leitura de mundo, na aproximação da realidade, pelo profissional de Serviço Social em sua análise crítica dialética apresentada a partir da demanda em seu espaço sócio ocupacional. Já que a questão social ou políticas sociais é seu processo e objeto de trabalho.
            Esta definição ou apreensão da reprodução do modo de produção deve ser entendida para que possamos construir estratégias e nos posicionar se (posição política), diante da realidade em nosso espaço sócio ocupacional bem como do momento contemporâneo. Para que possamos utilizar se de estratégias devemos definir algumas táticas de posicionamento. A tática que devemos exercitar em nosso cotidiano sócio ocupacional é a utilização da categoria mediação. É neste espaço sócio ocupacional que o profissional utiliza estratégias para: apaziguamento ou emancipação dos indivíduos ou sujeitos sociais. A categoria mediação, sendo sucinto na descrição, é apreendida como mediação da contradição e totalidade no processo de estruturação social em seu contínuo movimento. Podendo ser utilizada como vínculo institucional de garantia de direitos e emancipação, bem como pode ser utilizado como cooptação ou tutela institucional.
Como sugestão de estratégias sócio ocupacionais no exercício profissional do Serviço Social gostaria de descrever alguns apontamentos de forma sucinta e simples, utilizando de forma modesta de táticas e estratégias:
a)      Tático: Forma que a estratégia é utilizada. Poderíamos descrever como metodologia da ação ou intervenção no exercício ocupacional.
b)      Estratégia: Utilização de arcabouço teórico na elaboração de métodos de intervenção do Serviço Social no exercício profissional.
c)      Exemplos: utilização de metodologias (táticas) que possibilitem a família e crianças construírem caminhos de garantia de direitos e economia solidária: espaços de convívio que potencialize o convívio familiar e acessibilidade em creches e emancipação econômica.
Estratégia: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos de 0 a 06 anos utilizando se de arcabouço teórico da Saúde, Economia, Psicologia, Serviço Social (políticas e programas: das cidades sustentáveis, Habitação, Conselhos, Brasil Carinhoso, Cadastro Único, Serviços, e outros)
d)     Exemplos: utilização de metodologias que possibilitem crianças e adolescentes construir caminhos de identidade: espaços de convívio que potencialize a inovação e criatividade. Estratégia: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos de 07 a 14 anos utilizando se de arcabouço teórico da psicologia, antropologia, filosofia, Serviço Social (políticas: de mobilidade urbana, agricultura, cultura e lazer, esporte, trabalho, juventude e outras)
e)      Exemplos: utilização de metodologias que possibilitem a construção de caminhos de identidade territorial: espaços de convívio que potencialize a Mobilidade Urbana e Rural e a Cidadania Eco-Humana-Comum.
Estratégia: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos utilizando se de arcabouço teórico da antropologia, filosofia, Economia, Serviço Social (políticas e programas: de desenvolvimento sustentável, trabalho, cidadania, lazer e cultura e outras)
f)       Exemplos: utilização de metodologias que possibilitem a construção de caminhos de Convivência Eco-Humana: espaços de convívio que potencialize a consciência da Cidadania Eco-Humana-Comum.
Estratégia: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos utilizando se de arcabouço teórico da, Antropologia, Filosofia, Economia, Religião, Serviço Social (políticas e programas: Diversidade Cultural, Cidade Sustentáveis e outras)
Estas são maneiras simples e modestas de criar – utopias – de mundos possíveis, em meio às contradições do cotidiano das preocupações, utilizando se estratégias que proporcionem mais censo coletivo crítico e criativo, potencializando a inovação e enriquecimento cultural, espiritual e político no exercício profissional.

Avaliação do Seminário Temático:
Gostaria de parabenizar a professora Edinaura Luza. Lembrando Gramsci: a formação intelectual orgânica tem na direção moral e intelectual a base para o salto da percepção da luta de classe. O Seminário possibilitou este salto intelectual orgânico utilizando- se de “estratégias” motivacional e aprofundamento teórico. Parabéns.


[1] Estratégia desenvolvida no CRAS com utilização do método Paulo Freire: leitura de mundo, temas geradores e problematização. (Ver) Disponível no blog: nupss.blogspot.com. br

Nenhum comentário:

Postar um comentário