Seja Bem Vindo!

domingo, 6 de maio de 2012

Seminário Circulo de Cultura e Temas Geradores


                                                                                                              Por Pedro Miguel M. Jr. (assistente social)

O Método do Círculos de Cultura é um aplicativo de Temas Geradores que pode ser utilizado como prática social. Utilizando se de dimensões de pesquisa e dimensões educativas este método é fundamental na intervenção profissional do assistente social como instrumento substantivo de orientação estratégica do nosso trabalho dando coerência interna, sentido e perspectiva da dimensão metodológica da realidade.

"Serviço social de olhos abertos para a Educação: ensino público e de qualidade é direito de todos/as". Este é o tema das comemorações do Dia do/a Assistente Social de 2012, celebrado em 15 de maio. A ideia é fortalecer as lutas do Conjunto CFESS-CRESS em defesa de uma Política de Educação que ofereça ensino público, presencial, laico e de qualidade, em todos os níveis, para todos/as os/as brasileiros/as.

Assim estamos entendendo que o debate, em relação ao tema sugerido pelo Conjunto CFESS-CRESS em defesa de uma Política de Educação exige uma estratégia de comunicação que envolva implementar processos sistemáticos na dimensão metodológica no exercício profissional do assistente social.

Acreditamos que o Seminário Circulo de Cultura é uma oportunidade de fazer uma Leitura do Mundo e da Política Nacional da Educação. A partir desta apreensão, podemos especificar temas geradores que possibilitem problematizar o tema sugerido pelo conjunto Conjunto CFESS-CRESS em defesa de uma Política de Educação.

1 – O Seminário Circulo de Cultura

Objetivo Geral: Estudar o Método Paulo Freire

Conhecendo o método:

O Círculo de Cultura foi um termo utilizado pelo Educador Paulo Freire na década de [1]50 para alfabetizar em tempo recorde analfabetos. Este método pedagógico criado por FREIRE (2008) não tinha apenas este objetivo de alfabetizar; mas o de POLITIZAR.

Este Método possibilita que possamos, no exercício de trabalho e nas intervenções, aplicarmos estas ferramentas de pesquisa participante e dialógicas na identificação da realidade social (Leitura do Mundo). Possibilitando desdobrar qualquer tema. Problematizando estes temas geradores em perspectivas de encaminhamentos concretos e soluções coletivas.

A importância dos profissionais de Serviço Social estarem utilizando este método como instrumento de Conhecimento da Realidade (Leitura de Mundo – em defesa de uma Política de Educação que ofereça ensino público, presencial, laico e de qualidade, em todos os níveis, para todos/as os/as brasileiros/as. – e não um produto fetichizado), Criticidade na ruptura da pseudoconcreticidade (Temas Geradores – desmistificar Temas, conceitos, “verdades” ideológicas – Educação a serviço da formação e relação do Trabalho e Autonomia da classe trabalhadora, conforme o pensamento Marxiano), e a necessidade do(a)s Assistentes Sociais estarem  utilizando este método na Problematização destes Temas:"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".   "Serviço social de olhos abertos para a Educação: ensino público e de qualidade é direito de todos/as".

Relação com o tema alusivo as definições e estrito alinhamento do temário nacional:

Os Círculos de Cultura constitui-se em Espaços de Debate. Práticos. Teóricos e reflexivos. Constituindo-se em PRÁXIS: reflexão da realidade e prática laborial no MUNDO do trabalho e do Capital. A Educação como Mercadoria nestes espaços – círculos de debate – é criticada utilizando se de “temas de dobradiça” onde o Tema:

"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".
É debatida de forma: crítica, presencial, dialógica e sistemática.

2 - Concepção Metodológica Dialética

A aplicação da concepção metodológica dialética nos Círculos de Cultura é o ponto de partida do processo de potencializar o debate em Santa Catarina, segundo orientação do CRESS 12ª Região apoiada na definição do temário nacional na programação alusiva ao Mês do/a Assistente Social.  

- Ideia-Força: Criar Processos de auto-formação com o TEMA: ,"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".

Constituindo-se em um efeito multiplicador na utilização do método do Círculos de Cultura pelos profissionais do Serviço Social como instrumento de Práxis Filosófica, (repoduzindo o Debate sobre o Tema: ,"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".)

A implementação de processos sistemáticos é o ordenamento da agenda proposta pelo Seminário dos Círculos de Cultura:
- Supondo articular o Tema Gerador: ,"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".
- Multiplicação dos Participantes: processo de formação continuada do tema.
-O eixo temático: ,"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".

- Quadro GUIA do Seminário de Círculos de Cultura

Tema Gerador: ,"Educação Não é Mercadoria: Assistentes Sociais na luta por uma educação pública, gratuita, laica, presencial, de qualidade e a serviço da classe trabalhadora".

Participantes: assistentes sociais e alunos na formação

Duração: 3 encontros (Seminários) divididos em 2h cada encontro (efeito multiplicador de Seminários) vários encontros com no mínimo 10 participantes e no máximo 20 part. Contabilizando ao final 10 participantes.

Dinâmica: Prática, teorização, prática (temas desdobrados, objetivos encaminhados, técnica utilizada no combate a Educação como mercadoria, material utilizado)

- Método MPF

- Leitura de Mundo:

(posicionamento e luta contra a mercantilização da educação e de todas as formas precárias de expansão, ao acesso ao conhecimento)

Temas Geradores:

(posicionado e lutado contra a mercantilização da educação e de todas as formas precárias de expansão)

Problematização:

1.       (Serviço Social de olhos abertos para a Educação: ensino público e de qualidade é direito de todos/as)

 [1] Experiência realizada em Recife constituiu se a primeira série de Círculos de Cultura em zonas populares.  (PADILHA, P. Roberto. O Círculo de Cultura na perspectiva da intertransculturalidade. Caderno de Formação. Org Escola Multimeios)

Fonte:
- Projeto formação de educadores populares. ORG Instituto Paulo Freire, 2008.
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS Gestão Tempo de Luta e Resistência – 2011/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário